Resenha - Anna e o Beijo Francês

Oi pessoal, hoje eu vim falar de um livro que quase todo mundo já leu e eu nunca tinha me interessado muito por ele, mas gente QUE LIVRO BOM!

A Anna é uma garota que tem um irmãozinho e pais separados, ela tem uma melhor amiga e um quase namorado quando ela é "tirada" dessa vida e mandada por seu pai para um internato só para americanos na França. Tudo bem que é em Paris mas a Anna não está empolgada para ir, já que seu pai só quer isso pra mostrar que tem dinheiro agora que ficou famoso escrevendo romances clichês que a Anna detesta.

Lá ela conhece a Meredith que é uma garota que já estuda lá há 4 anos e tem um grupo de amigos do qual a Anna vai acabar fazendo parte. O grupo é a Meredith, o casal Rashimi e Josh, St. Clair e a Ellie que é namorada do St. Clair mas já está na faculdade, não vive mais com eles.

"Então, o que eu peço? Algo que não tenho certeza de que quero? Alguém que não tenho certeza de que preciso? Ou alguém que sei que não posso ter?"

Não tem como não se apaixonar pelo St. Clair, ele nasceu nos Estados Unidos, morou desde pequeno em Londres por isso tem sotaque britânico! E tem o nome francês.  Como a Anna não sabe falar francês é o St. Clair quem ajuda ela na cidade, ele a leva para conhecer os pontos turísticos de Paris e eles acabam criando uma ótima amizade, e sempre indo aos cinemas já que a Anna quer ser uma crítica de cinema.

" - Eu amo Paris - digo 
  - E tenho certeza de que Paris a ama também - diz St. Clair"

Ela acaba se apaixonando por ele mas decide esconder isso já que ele de ter namorada a Mer é apaixonada por ele. Quando a Anna volta para Atlanta no natal ela descobre que a melhor amiga dela e o quase namorado estão namorando, o irmãozinho dela idolatra a melhor amiga que é babá dele e então a Anna percebe que ela foi substituída, ela foi embora mas a vida deles não parou, e então ela tenta descobrir onde é realmente sua casa, onde ela se sente segura e pra onde ela quer sempre voltar.

"Sinto falta de Paris, mas lá não é minha casa. É mais algo do tipo sentir falta... disso. Desse calor pelo telefone. É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar? Bridge costumava ser meu lar. Talvez St. Clair seja meu novo lar."

Não tem como não se apaixonar por Paris e pelo Étienne, ele é muito fofo, engraçado, amigo e inteligente. E claro, humano, quando ele começa a passar por vários problemas como doença na família, pressão do pai e brigas no namoro é a Anna quem está sempre lá apoiando ele.

"E percebo.. que está tudo bem. Tudo bem se St. Clair e eu nunca formias mais do que amigos. Sua amizade sozinha me fortaleceu de uma forma que nenhuma outra conseguiu. Ele me tirou do quarto e me mostrou o que é ser independente. Em outras palavras, ele era exatamente aquelo que eu precisava. Eu não me esquecerei disso. E certamente não quero perder isso."

É uma delícia a leitura, com certeza vou querer ler mais livros da Stephanie Perkins, porque esse é aquele tipo de livro que você se apaixona por tudo, pelos personagens, pela história, pela cidade. E também te faz rir bastante. É uma leitura maravilhosa para qualquer momento, principalmente nas férias.

Beijoos,
Mandy 

Bates Motel


Bates Motel é uma série que o nome vai chamar a atenção dos fãs de Psicose. Bates Motel é o nome do motel que a Norma compra e se muda para a casa ao lado com seu filho Norman Bates no livro Psicose. 

A série diferente do filme e do livro, acompanha a adolescência do Norman Bates,a recente morte de seu pai, a mudança para uma nova casa perto do motel que vira "negócio da família", nova escola, novos amigos, a superproteção da mãe, e os problemas sobre o passado do seu irmão Dylan.



O Norman é um garoto estudioso, esforçado, ajuda a sua mãe no motel, ama e respeita muito a mãe, consegue fazer alguns amigos porém é muito quieto, muito reservado. Ele cria uma relação muito afetiva com a mãe já que o pai morreu e seu irmão não mora mais com eles, são só os dois. Ela é muito controladora mas ele a obedece, até certo ponto.

Quem assistiu ao filme Psicose sabe o que acontece com o Norman no final de sua vida adulta mas mesmo assim é muito interessante até para quem não assistiu, ver como ele começa a perceber que ele tem "blackouts" ele apaga em alguns momentos e não sabe porque isso acontece nem o que ele faz quando ele apaga.



É muito interessante tentar descobrir junto com o Norman o que está acontecendo, e se tem ou não algo de errado com ele. E também tem a Emma que é uma amiga do Norman e é muito meiga e cria uma ótima amizade com ele. A mãe dele também está tentando se adaptar e acima de tudo proteger o Norman.

É divertida, tem romance, tem mistérios, e o melhor é que foi renovada para a terceira temporada que estreia nesse ano. Atualmente a série tem 20 episódios.


Beijoos,
Mandy 

Playlist da Semana: Rock

Oi pessoal, tudo bom com vocês? Eu sempre faço as playlists com músicas do momento, hoje decidi fazer diferente e colocar um tema: Rock. Claro que dentro do rock existem vários estilos então esse é o que eu escuto, espero que gostem.

Tem The Black Keys, que eu só conheci esses dias!! Tem Suzi Quatro, Skillet e Foo Fighters em homenagem ao meu amigo que me viciou HSAUHU E Tem até as atrizes Kristen Stewart e Dakota Fanning cantando The Runaways

                        

Quote da Semana: Anna e o Beijo Francês

Olá galerinha, hoje eu vim trazer um livro que quase todo mundo já leu e eu nunca tinha tido a oportunidade de ler. Anna e o Beijo Francês, ganhei de uma amiga de aniversário e não poderia estar gostando mais, agora entende porque todo mundo ama o St. Clair.


"Enfio minha cabeça nos lençóis e sorrio. Mal posso esperar para contar para Bridge. Exceto... e se ela contar ao Toph? E não posso contar para Mer, porque ela ficaria com ciúme, o que significa que não posso contar a Rashimi nem ao Josh. Fica evidente para mim que não tenho ninguém a quem contar. Isso significa que o que fiz foi errado?" Pág 143


Me digam se vocês já leram e o que acharam ou se pretendem ler.


Beijoos,
Mandy

Filme da Semana: Camp X-Ray

Camp X-Ray é um filme independente que trata sobre a vida dos soldados e dos presos que vivem em Guantánamo. Com a interpretação maravilhosa de Kristen Stewart e Peyman Moadi, somos apresentados a uma realidade cruel e humana ao mesmo tempo.

Cole é uma jovem que acaba de se tornar um soldado e ao invés de ir para o Iraque como esperava acaba em uma prisão em Guantánamo. Lá ela precisa aprender a lidar com os muçulmanos presos que são bem difíceis e várias vezes passa por situações humilhantes. Ela aprende a rotina, a ter cautela e a conseguir "controlar" os detentos. Tem algumas amizades com os outros soldados e até mesmo com um preso.

O Ali é fã de Harry Potter :D

Cole e Ali, preso ali há 8 anos, acabam tendo conversas banais sobre livros e lugares no mundo, mas essa estranha amizade não agrada aos comandantes até que Cole começa a sofrer as consequências dessa "bondade" que ela possui. O filme começa mostrando os presos como os vilões e os soldados como os bonzinhos mas com o passar do tempo vamos aprendendo junto com a Cole que não é bem assim. Os papéis podem se inverter.

A filmografia e a trilha sonora passam uma monotonia, quase todo o filme se passa na prisão. O andar incessante dos soldados nos corredores da uma agonia, eles parecem robôs, não parecem pessoas. De um lado vemos a rotina da Cole e do outro a do Ali. A Cole acaba sozinha, sem amigos, parece presa naquele lugar onde ela nunca quis estar e do qual não pode sair, e o Ali passa todo o tempo naquela cela minúscula, 8 anos sem ter uma conversa de verdade, 8 anos sem ao menos abraçar alguém. Os dois de uma certa forma acabaram presos e sozinhos nesse lugar. Mas não ocorre nenhum romance entre eles, apenas amizade.

Para Ali, Eu não sei se o Snape é um cara bom.
Mas eu sei que você é. Amor, Loirinha.
O filme nos faz pensar os detentos fizeram algo errado para estar ali mas será que mesmo depois de quase 10 anos eles não merecem ter uma vida? Porque está visível que depois dali nenhum deles tem para onde ir, sem família, sem possibilidade de emprego muito menos de um futuro. Eles acabam perdendo a esperança, eles perdem a vida.

E no lugar dos soldados, como eles conseguem ser tão frios e agir como se os presos fossem animais, falando a hora que eles devem comer, devem dormir, a hora de falar ou não. Eles acabam prendendo homens que só estão ocupando "espaço" e ninguém se preocupa em dar um futuro a eles.

A Cole é uma jovem que só queria ser importante e fazer algo de bom, de útil, com a sua vida, porém depois de conhecer o Ali ela percebe que não consegue viver numa situação tão fria e tão desumana.

O filme é maravilhoso, é um dos primeiros filmes hollywoodianos que não mostra os muçulmanos como monstros e sim como pessoas. Consegue te deixar agoniado, triste, feliz, te fazer chorar e te fazer sentir preso por aqueles corredores inacabáveis e pela maldade que anda por eles.


© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo